Um ensaio sobre vampirismo pt.2

Nessa segunda parte falaremos no vampirismo aplicado e seus principais sintomas tanto na vítima quanto no vampirista, pois sim o vampirismo pode causar sintomas péssimos também em quem “ataca”

Entidades

Como citado anteriormente as entidades ditas vampiras entram numa gama enorme de categorias, vermes, larvas, sofredores, encostos, eguns dentre outros, todos são entidades que foram ou não criadas por humanos e que não possuem a capacidade de gerar energia por si próprias necessitando assim absorver energia de outras entidades ou de humanos. Reparem que algumas entidades conseguem gerar certa frequência energética em seu plano nativo e essa energia servirá para manter sua existência e estadia lá, porém ao se projetar para outro plano ela precisa absorver energia nativa do mesmo para conseguir permanecer ativa, encontrando no vampirismo uma boa ferramenta de absorção.

Para pessoas vítimas desse tipo de entidade os principais efeitos colaterais são cansaço, sonolência, mudança de humor, pesadelos, sugestões, agressividade e falta de atenção. Quando uma pessoa tem seu fluxo energético diminuído os chakras respondem apresentando suas principais anomalias e conforme a duração dessa drenagem prossegue a falência dos chakras vai se tornando generalizada.

Nesse caso a entidade não tem nada a perder, nunca ouvi relatos de alguma entidade que tenha sido infectada por absorver energia de alguém, até porque se a energia não for compatível elas tendem a procurar outra vítima antes de começar a absorção, ou seja 100% de ganho para a entidade.

Pessoas

Por incrível que pareça o vampirismo pode ser utilizado de forma benéfica, nesse caso é chamado apenas de transferência de energia, algo similar ao que os kardecistas fazem, drenando energias negativas das pessoas e preenchendo-as com energia positiva, algo como uma hemodiálise, a energia retirada da pessoa “carregada” é jogada fora e por meio de um líquido fluidificado a pessoa limparia sua cadeia de chakras e por ai vai. Percebam que o fluxo pareceria perfeito porém o médium responsável por retirar a energia negativa do “carregado” corre um enorme risco de trazer para si resquícios dessa energia, ou karma o que gera a fama de que todo médium apesar de ajudar as pessoas sofre a vida inteira.

PsyVamps

Termo inventado pela atual comunidade ocultista, seriam os vampiros psíquicos que absorvem energia de outras pessoas com o fim de prejudicá-las ou de alimentar-se dessa energia… Bom, sabemos que não é assim que funciona, não é todo tipo de energia que você pode simplesmente absorver e comer como se fosse sucrilhos no café da manhã, todos temos uma quantidade correta de energia no nosso corpo energético e seja tendo a mais ou a menos isso gera problemas, ou seja a quantidade correta é sempre o ideal e absorver energia dos outros mesmo que compatível de certa forma com a nossa não traria benefício algum. Porém se estivermos falando de uma espécie de drenagem maléfica teríamos algumas utilidades como exaurir alguma pessoa, e depois dispensar a energia absorvida, o que obviamente levaria muito tempo, treino e ainda apresentaria o risco de absorção de karma.

Continua.


GOSTOU DESSE CONTEÚDO? QUER VER MAIS SOBRE ISSO OU SOBRE UM ASSUNTO DE SUA ESCOLHA? SEJA UM APOIADOR DO PORTAL E VEJA AS VANTAGENS, CLIQUE NO LINK PARA SABER MAIS

O que achou da postagem?
+1
0
+1
0
+1
0

Related Articles

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *