Percebi que a um tempo postei uma matéria que citava vampirismo e não me liguei que ainda não tinha explicado sobre o assunto aqui no SITE, vício de Orkut, depois de tanto falar disso por lá, seja na comunidade Atos Negros seja em outras comunidades como a falecida O&V, às vezes me esqueço de que nem todos já entendem do assunto, my bad.

Vampiros, vampirismo e energia.

Todos nós desde crianças somos apresentados à imagem do vampiro, essa que graças a Hollywood se morfa a cada ano, um cara que bebe sangue, é um morto-vivo e dorme durante o dia e caça durante a noite, reparem a analogia à animais predadores noturnos e o vampiro em si seria isso, uma espécie de topo da cadeia alimentar, um ser que se alimenta de humanos e que caça quando estes estão no seu momento mais vulnerável, ou seja à noite e durante o sono. Durante muito tempo essa imagem bestializada do vampiro imperou nas caracterizações e relatos que víamos por ai porém a origem desse mito remete a muito antes de  qualquer diretor de hollywood sequer ter nascido.

Vampiro e a mitologia.

O vampiro é na verdade um ser mitológico, em praticamente qualquer cultura encontraremos alguma espécie de ser que se alimenta de humanos e os caça na calada da noite, alguns comem nossa carne, outros sugam nossa vida, alguns até bebem leite materno, mas algo é igual, são criaturas maléficas e que consomem humanos para continuar vivendo, com isso o termo vampiro poderia abrangir não só o morto-vivo chupador de sangue mas toda ou qualquer criatura predadora natural de humanos e é então que nasce o termo VAMPIRISMO.

Vampirismo.

O vampirismo é em suma o ato de drenar a vida de um ser humano. Não existem provas conclusivas que mostrem algum ser que o tenha feito a partir de sangue apesar de que existem relatos sobre a absorção de fluídos físicos como sangue, leite e esperma.

A maioria dos casos que realmente comprometem a realidade de um ocultista praticante é a do vampirismo energético, ou seja, outro ser drena a energia vital de modo a debilitar a vítima, o vampirizador pode ou não usar tal energia para si mas a constante é que de uma forma ou de outra a vítima será exaurida e ficará debilitada após o ataque.

Vampirismo energético.

E surge então o vampirismo energético, esse que não é novidade nenhuma do lado de lá pois entidades de diversos tipos drenam energia de humanos o tempo todo como forma de se alimentar, percebam que no caso de entidades é comum vê-las se alimentando de energia drenada, ao contrário do que acontece com pessoas vampíricas, essas raramente conseguem absorver a energia que foi drenada normalmente descartando-a ou utilizando para energização de rituais ou objetos, nunca para consumo próprio.