A palavra Kimbanda vem da palavra africana em Bantu que significa “curador” ou “Shaman”, assim como pode se referir também a “Aquele que se comunica com o Além”; é a denominação do curandeiro africano angolano.

Já a palavra Quimbanda, da língua portuguesa, apesar de originar da palavra africana, acima citada, pode tanto designar o chefe de um terreiro de Quimbanda ( O Quimbanda), quanto uma linha diferenciada de trabalhos espirituais dentro da Umbanda, os chamados trabalhos de Esquerda da Umbanda, mais focada em trabalhos com entidades específicas como Exus e Pomba giras, alguns pretos velhos e alguns caboclos quimbandeiros.

O que é a Quimbanda?
Tentar definir a Quimbanda é uma tarefa árdua, visto que as linhas de trabalho da Umbanda e da Quimbanda podem se misturar ocasionalmente.

A Quimbanda trabalha mais diretamente com os Exus e Pomba giras, também chamados de “Povos de Rua”, de uma forma que não é trabalhada na Umbanda pura. Isso infelizmente, confere a Quimbanda uma má fama, como sendo uma linha de trabalhos dentro da magia negra e para se fazer o mal às pessoas, o que não é verdade. As entidades quimbandeiras, de acordo com a cosmologia umbandista, manipulam forças negativas, o que não significa que sejam malignas. Geralmente, estão presentes em lugares onde possam haver kiumbas, obsessores, também conhecidos como espíritos atrasados.

Trabalham arduamente para anular demandas pesadas enviadas aos frequentadores ou filhos do terreiro.

Tanto é possível usar a palavra a Quimbanda para designar um dia, ou uma época em um terreiro de Umbanda concentra seus trabalhos na linha da Esquerda, ou um terreiro que trabalha exclusivamente na linha da Quimbanda.

A entrega de oferendas é comum na Quimbanda, assim como na Umbanda pura, mas variam de acordo com cada entidade. Podem ser oferecidas bebidas alcoólicas como: cachaça (marafo), uísque, conhaque, champanhe, vinho, entre outras, além de velas, charutos e cigarrilhas. No entanto, há também quem pratique magia negativa ou negra, usando os nomes das entidades da Esquerda, classificando isso como um trabalho de Quimbanda devido a má fama desta palavra, mas sem que isso seja verdade.

Quimbanda no Brasil Atual
A Quimbanda praticada atualmente no Brasil não é simplesmente mais uma das linhas existentes dentro dos cultos afro-brasileiros; suas influências, além de Bantu, Nagô e Yorubá, também abrangem vários aspectos dia cultos indígenas, alquimia e correntes orientais.

Na Quimbanda, se costuma trabalhar com Exus que aparecem muito na Umbanda do passado; mas que hoje têm raras aparições nos terreiros de Umbanda, como Exu do Ouro, Exu Gargalhada e Exu do pó. Quando essas entidades realizam trabalhos em terreiros de Umbanda voltados para Esquerda, pode se considerar um trabalho de Quimbanda com “Q”, o que não deve ser confundido com magia negra.