Eu juro que tentei ficar bem longe dessa galera, juro mesmo, em alguns momentos até tentei dar algumas chances para que eles ganhassem algum crédito por sua “criatividade”, mas levando em consideração a série de postagens do que não se deve fazer e de quem é você, finalmente vou falar abertamente sobre esse povo, que creio eu, nem existe mais.

O que é um otherkin?

Essa galera existia aos montes na época do ocultismo pop na web, eram pessoas que por algum motivo não se encaixavam em nenhum dos grupos comumente conhecidos (nerds, góticos, playboys, populares, fechadões) e então depois de ler sobre uma mitologia ou outra concluíram que não se encaixavam em nenhum grupo porque, na verdade, eles eram pertencentes à outras raças de outros planos.

Sério? e quais eram?

Via-se de tudo, desde fadas e lobisomens até dragões… Era uma mistureba de D&D com jogos eletrônicos e mitologia que realmente atrairia qualquer criança de 8-12 anos, o que seria até aceitável pois não deixaria de ser simplesmente uma brincadeira de faz-de-conta… só que infelizmente a realidade era outra e os otherkin eram na verdade burros velhos com idades que variavam de 15 a 40 anos!!! Imagina só uma mulher em seus 40 anos acreditando ser uma fadinha.

Mas isso ainda não chega a ser algo danoso, não é?

Realmente não, a diferença entre ser um otherkin e jogar RPG de mesa não era muita, eram apenas pessoas interpretando personagens em um grupo fechado e longe dos olhares públicos… isso era o que a mente da maioria dos ocultistas acreditava, mas a realidade era um pouco diferente.

Ocultistas falidos e miseráveis encontravam na ideia otherkin um campo fértil para aplicar suas práticas furadas, fossem elas reais ou não, ou seja mesmo que determinada prática não tivesse funcionado com essa criatura imbecil ela poderia acabar funcionando com alguém e indiscriminadamente eles começaram a lançar esse tipo de material pra essa nova “espécie”

Inicialmente não parecia ser nada demais, afinal eram pseudo-ocultistas a se aventurar junto com essa rapaziada, porém como citei  faixa etária de 15 a 40 é bem vasta logo você facilmente encontrava uns burros velhos de 40 anos cercados por garotos e garotas de 16 idolatrando a criatura, era bem patético.

E isso acabava por retardar o tratamento real que esses moleques deveriam seguir, afinal, se um adulto dizia pra eles que a resposta de não se encaixar era porque na verdade eles eram filhos de dragões por que duvidar, né?

Então qual era o problema?

Ocultistamente falando somente o risco de alguém ter algum material que funcionasse e esse acabasse caindo na mão da molecada, mas no geral o problema foi a vergonha alheia… E é sobre isso que esse tópico fala, sobre o porquê de ninguém respeitar ou levar à sério esses caras.

Outro aspecto muito citado foi a questão da ajuda psicológica, não tenho certeza se escolher ser uma fadinha era solução para os problemas psicológicos de alguém, mas não acredito que isso seja exclusividade dos otherkin.

E por fim o que aconteceu com eles?

Assim como toda moda eles passaram e obviamente não deixaram nada de útil pra trás (era de se esperar), provavelmente as crianças amadureceram e os mais velhos estão internados, mas é legal saber que durante um tempo existiu uma tribo bem grande de pessoas que simplesmente curtiam uma histeria coletiva, uma louca vontade “wannabe” e provaram que isso não leva a lugar nenhum.