Esse pode ser considerado um exercício de imaginação, muitos de nós já ouviram falar na teoria do multiverso onde a cada escolha que tomamos um universo novo é “gerado”, onde nesse a escolha tomada foi outra e seguiu outro desfecho.Mas e ai? o que levaria aquele desfecho?

Pois é, esse exercício serve para afinar nossas capacidades de simulação de situações e também servirá como uma boa prática de concentração para a projeção mental,ou seja, todo o exercício será executado dentro do ambiente de projeção, logo se você sente alguma dificuldade nesse aspecto é uma boa chance de se aprimorar um pouco.

Como funciona.

Nossa vida é feita de escolhas o tempo inteiro,algumas importantes outras nem tanto e algumas mudam realmente o rumo da nossa vida, outras fariam com que tudo desse no mesmo, e é exatamente em cima das escolhas mais importantes que trabalharemos.

Quantas vidas você tem?

Algumas pessoas ficam resmungando sobre o fato de ter feito escolhas erradas e por conta disso a vida não é como elas queriam, a verdade é que cada um tem a vida que merece, seja por uma escolha errada ou não, logo resmungar não vai adiantar nada. Mas e se você pudesse voltar atrás e mudar alguma coisa, o que você mudaria?

Vou voltar no tempo e mudar meu passado?

Não, imbecil. Você em momento algum mudará a sua situação presente, não fisicamente ao menos, mas você tentará recriar a situação na qual você teve uma atitude que considera mudar e dai pra frente todo o resto será apenas fruto da sua imaginação, ou seja, você irá fantasiar quanto ao seu destino alternativo criando um desfecho para a sua vida, normalmente mais agradável que o real.

A ideia de fazer isso como citado anteriormente não é para mudar o passado, mas o futuro. Ao gerar essa simulação em plano mental do que deveria ter acontecido, inconscientemente você está movendo energias no plano físico e o fará acreditar que talvez aquela realidade alternativa talvez devesse existir. ou seja, esse é um exercício de manipulação energética sob a vontade, e não tem forma melhor de controlar a vontade do que uma projeção mental simulando o que deveria acontecer.

O funcionamento.

A projeção mental é a realidade alternativa do ocultista, ou seja, ele apesar de saber que nada é real curte o momento como se o fosse. Durante essa simulação tanto o corpo físico quanto o espiritual do ocultista responde quase que com a mesma intensidade de experiências reais, sabemos que de modo físico os resultados são cansaço, orgasmos e até algumas dores, mas de forma espiritual/energética o que mais utilizamos é a manipulação de tempo, ou seja, cochilar 10 minutos e ficar dias e dias fazendo algum ritual no plano mental. Mas o quanto isso afeta a malha energética do plano físico?

O Tempo ao tempo.

Sabemos que pode-se fazer rituais no plano mental e que os efeitos podem afetar o plano físico, sabemos também que a intensidade das transformações são bem menores que um ritual tradicional, mas e a manipulação energética? A área de presença? Como fica a manipulação de eventos em si? É sobre isso que esse post fala, ao criar uma realidade alternativa no plano mental podemos alterar a malha energética da realidade e forçá-la a tentar criar a realidade alternativa que tanto repetimos e forçamos no plano mental.

Infelizmente não conheço ninguém que tenha conseguido alterações drásticas ou grandiosas ao ponto de dizer “mudei minha vida completamente”, mas percebi sem muita dificuldade pequenas alterações tanto em resultados futuros quanto em consequências do passado.

Exemplo: Você conheceu uma menina em determinada ocasião, porém por ser um zé-roela você bebeu demais e acabou causando uma péssima impressão e provavelmente nunca mais encontrará tal garota.

Você sabia o que deveria ter feito, e também o que não deveria ter feito, então num belo dia você pára em seu local de paz e medita em seu plano mental, nele você recria a situação inteira como um flashback, porém você toma outras atitudes que considera ser melhores que as reais (meio fácil isso né) e cria um desfecho mental para a noite que lhe agrade. Repare que não é só imaginar o momento, você deve vivê-lo dentro do seu plano mental repetidas vezes, com ou sem variações, desde que o resultado final seja o mesmo.

Se você fizer tudo direitinho digamos que o “destino” vai receber a informação do seu plano mental, e vai conflitar com a informação do plano físico, sendo assim você tem algumas chances de que aquela menina simplesmente esqueça da tal noite fatídica e estranhamente sinta o que você queria que ela sentisse.

Isso funciona?

Sim, e não é tão difícil assim pois não se trata de nada louco ou universal, mas apenas dos seus tentáculos energéticos se esticando por ai fazendo da sua vontade o destino do universo, é como uma área de presença seletiva e direcionada, algo que demoraria muito para eu explicar nesse tópico. (que já tá ficando gigante).

Onde mais posso aplicar isso?

Normalmente em influência de outras pessoas ou seres vivos ou não, afinal são os que tem a energia mais similar à sua.

 

Em breve volto com esse assunto, mas pararei por aqui para que vocês pensem sobre isso.