Esta é uma técnica muito simples que envolve basicamente a visualização em si. Deite-se confortavelmente. Procure manter uma respiração estável e tranquila. Evite que barulhos externos o distraia. Deite-se em decúbito dorsal (barriga para cima). Lembre-se de colocar um travesseiro ou uma almofada nas articulações do joelho. Isto evitará tensão na base da coluna vertebral.Pense em estar flutuando paralelamente a uma estrada bem próxima ao asfalto. Imagine que está aumentando a velocidade gradativamente até atingir uma alta velocidade. Perceba como o asfalto se movimenta passando pôr você em alta velocidade. Procure sentir o maior número de detalhes possível, como pôr exemplo, o vento que passa velozmente pelo seu corpo. Se entregue à ideia de que está voando à uma velocidade inimaginável. O resultado desta visualização será o desprendimento do psicossoma, o qual, identificará a velocidade como um deslocamento progressivo.

Certamente o praticante sentirá o estado vibracional e sons
intracranianos. Estes sintomas são os que precedem a projeção
extrafísica. Imbuído na ideia de velocidade, a tendência será o psicossoma se projetar rapidamente para longe do corpo físico.

Recomendo ao praticante não parar para observar o corpo físico, pois, isto gerará uma forte euforia e o retorno será inevitável. Para que não seja pego de surpresa nestas condições, e para que o medo não seja o fator bloqueador da projeção, sugiro que leia e esteja a par do assunto da projeção extrafísica. Desta forma o medo será reduzido, ou até mesmo eliminado, e o assunto será encarado como uma capacidade parapsicofisiológica habitual. (Também já experimentei essa técnica e pelo menos comigo, funcionou na primeira tentativa).