E voltamos com mais um tópico do guia do invocador, esse que visa ensinar pra galera nova alguns dos detalhes que devem ser levados em consideração por qualquer ocultista que pretenda fazer uma invocação.

Nesse capítulo vou falar sobre as homenagens que os evocadores têm feito, principalmente na internet e redes sociais.

Por que homenagem?

Essa é a questão básica antes de mais nada, por que um ocultista iria homenagear uma entidade com a qual ele trabalhou ou pretende trabalhar? Os motivos podem ser muitos, desde simples empatia à partes do acordo, ou seja, você como ocultista tem que definir em qual aspecto se enquadra a sua adoração.

Inicialmente a homenagem era utilizada como forma de pagamento, não sei quem exatamente inventou que bastaria você sair mostrando o nome de uma entidade por ai que já bastaria para que ficasse tudo equilibrado, posso dizer com toda certeza que isso é um erro e que se você confia nisso provavelmente vai se ferrar muitas vezes.

Homenagem VS Adoração

Muitas pessoas conseguem favores de entidades simplesmente aforando-as, perceba que isso é uma prática bem comum aqui no Brasil, porém ela se espalha pelo mundo das formas mais malucas que você possa imaginar (Índia principalmente), a adoração pede que o devoto siga algumas regras, seja de ética ou de dieta ou comportamental, a regra é bem simples: Você tem que se entregar de corpo e alma à entidade representante daquela religião.

A adoração não pode ser fingida ou negociada, ou você segue as regras e espera o seu milagre acontecer ou desiste e pula fora, não tem meio termo.

Já a homenagem é escolhida ou pela entidade ou pelo evocador, e se trata de algo que você fará uma vez e só repetirá caso faça outra negociação. Parece bem simples e por conta disso muitas pessoas erram na hora de executar a homenagem.

Ao contrário da adoração a homenagem pode ser negociada e adaptada à realidade do ocultista que a executa, afinal durante o ritual o acordo é feito e acredito que um invocador não iria topar ter que fazer uma homenagem que não pudesse cumprir, e caso seja uma homenagem por simplesmente ter alguma empatia com a entidade duvido que alguém faria algo muito complicado e custoso.

Como devo homenagear?

Obviamente cada entidade terá suas preferências de homenagem, desde uma foda bem dada à uma estátua gigante no alto de uma montanha, mas independente disso a regra máxima é que você deve conhecer profundamente a entidade com a qual está trabalhando, com isso você terá mais chances de agradá-la e cumprir com a sua meta.

O problema que muitas pessoas já tiveram é com conflito entre entidades, às vezes em homenagear uma você está ofendendo outra, lembrando que em alguns casos a homenagem é realmente para ofender outra entidade desafeto da qual vc trabalhou.

Principais tipos de homenagens

Como citado cada entidade tem sua forma de ficar feliz, mas alguns padrões são bem repetidos.

Espalhar o nome: Esse é o clássico de entidades egocêntricas ou que estejam de alguma forma em baixa. O invocador tem que espalhar o nome da entidade para que ela consiga mais seguidores, é basicamente como fazer uma propaganda. Os pontos para se levar em consideração são simplesmente os relacionados à natureza da entidade, você não vai talhar um nome de um elemental de água usando fogo e não vai numa igreja e gritar “hail satan”. Trabalhou com Lilith, faça uma orgia em sua homenagem, trabalhou com alguma entidade de guerra, faça uma pancadaria épica em nome dela, trabalha com elemental da terra, cria um jardim lindão… é até bem simples, lembrando de sempre exaltar o nome da entidade em questão.

Eternizar o nome: Muito parecido com a forma anterior, porém essas entidades querem que seus nomes sejam guardados pela “eternidade”, provavelmente tem algum problema com segurança e não confiam que essa atual geração vá guardar seus nomes como devem. O nome da entidade deve ser escrito de forma permanente em algo, seja talhando, queimando, esculpindo… E depois esse objeto que carrega o nome da entidade deve ser escondido, o local e as formas como devem ser guardados depende da entidade, pode ser jogado no mar, escondido numa gruta, enterrado, em alguns casos até guardado na casa do invocador.

Favores: Outra forma bem conhecida é a troca de favores com a entidade, você fará algo que ela pedir… nem preciso falar que essa é a forma mais arriscada de agir pois qualquer coisa pode ser pedida. Se tratando de entidades “diabólicas” os pedidos podem envolver matar alguém ou algo, destruir algo, esse tipo de coisa de gangue. Entidades benéficas pedem o exato contrário, vão querer que você ajude alguém ou algo, normalmente ligado à outras pessoas que também se relacionam com a entidade.

Outras formas: Existem outras formas que poderia citar, mas em sua maioria são variações ou combinações dessas citadas acima.

Bom, como vou citar essa postagem no podcast, vou parar por aqui para não ficar muito longo.

Até o Podcast galera.