Goetia, você está pronto?

Muitos jovens ocultistas me fazem a mesma pergunta “goetia é perigoso, né?”, eu sempre respondo a mesma coisa, perigoso é atravessar a rua sem olhar pros dois lados… Esse mito de goetia ser o maior bicho papão para os novos ocultistas veio do fato de inicialmente lidar com demônios, e quem tem juízo nasce com um pé atrás quando o assunto é demônios.

Mas muita verdade não é dita para quem está começando, goetia é um sistema e não um livro de receitas de como cozinhar 72/74 demônios, isso mesmo, o importante da goétia é sua metodologia e não as descrições dos espíritos que rodam mundo afora.

Reparem que temos centenas de métodos de invocação no mercado oculto mas os mais popularizados foram o sistema goétio e o enochiano, respectivamente para demônios e anjos… pop, não? Pois é, essa fórmula já é utilizada a muito tempo, se você quer que algo se popularize ou chame mais atenção basta inserir no meio disso um componente conhecido pelas massas e pode ter certeza que vai virar best-seller, uma prova disso é que tem muita gente por ae que sabe o nome de praticamente todos os espíritos citados no theurgia goetia mas não tem a menor noção de como funciona o sistema para invocá-los, ou seja eles se tornaram figurinhas colecionáveis.

Mas a goétia é perigosa?

Nenhum sistema é perigoso, ele pode ser confiável ou não, complicado ou simples, barato ou caro e o que vai ditar se a prática dele vai ser perigosa é o seu nível de entendimento como ocultista e o fim que você dará para esse conhecimento. Por fim tudo vai depender do seu bom senso e da qualidade do sistema.

A goetia é confiável?

O sistema goetio pode ser considerado bastante confiável pois ele se adapta ao que será invocado, ele tem vários reforços de segurança (anel, disco e etc) sem contar na base de posicionamentos de símbolos e planetária, ou seja, é um sistema bem completo e se seguido à risca e adaptado para o ocultista e a entidade em questão quase que com certeza oferecerá o máximo de segurança que se pode conseguir com um sistema de invocação.

A adaptação

Essa é uma questão que os mais antigos detestam, a adaptação de um ritual para sua realidade, reparem que não estou falando da banalização que alguns wiccas ocultistas andam fazendo, como substituir sacríficios por peças de frigorífico ou de borracha, ou pintar objetos com cores dos metais, estou falando de adaptação de crença, era, posição planetária e mesmo de nível de compatibilidade com o espírito o qual se deseja conjurar. Essa adaptação real se faz necessária e até essencial pois os rituais não são apenas receitas a serem seguidas mas sim máquinas movidas por energia espiritual, e essa energia é sua, logo se você usar o combustível errado provavelmente essa máquina vai pifar no meio do caminho.

Não entendi, sou meio burro.

Relaxa, é meio complicado mesmo. Entenda que o sistema goetio assim como muitos outros utilizam vários símbolos ligados ao nome de Deus e de anjos, posições planetárias, referências astronômicas e etc… tudo isso deve ser corrigido para os dias atuais, muitas informações que eles tinham na época da criação do sistema estava errada e não custa nada você dar uma boa pesquisada para consertar essas falhas.

Outras adaptações que nêgo tem feito é em relação à solenidade, ou seja estão substituindo os objetos imponentes e caros por versão mais populares… um cálice de metal se torna um copo de requeijão, uma placa de ouro se torna um tapume pintado de dourado, um pergaminho virgem vira uma folha de fichário e etc… nem preciso dizer o quão filhodaputa isso soa né? Pode-se sim fazer substituições, mas sempre mantenha um mínimo de respeito pelo que se está fazendo, ou simplesmente não faça, sei que não é fácil ter todos os objetos pomposos que alguns ritos pedem mas não custa muito adiar suas práticas e manter um mínimo de classe.

Como faço substituições sem ficar pobre?

A resposta é bem simples, compense a falta de grana com trabalho árduo, substituir um disco de prata pura pela prataria da sua velha avó falecida (derretida ou compactada com uma marreta) não irá ofender a entidade e nem desvalorizar o ritual, tirar seu sangue com uma agulha ao invés de usar um cálice que vai lhe gerar uma puta cicatriz também não, entenda que certas coisas podem ser substituídas porém não lhes pode faltar a essência, sangue sempre será sangue, ouro sempre será ouro, o que você pode fazer é diminuir suas quantidades e como as conseguiu. Caso adaptações do tipo ainda sejam muito complicadas para você, abandona a goetia e vai pular fogueira, amigo.

Ok, eu entendi, mas eu devo mesmo investir na goetia?

Se você já chegou até aqui deve saber que a goétia é um sistema de conjuração e invocação, então sabe como as coisas funcionam quando se negocia com entidades, ao contrário do que muitos pensam o sistema goetio não fará a entidade obedecer, se o fizesse não haveriam tantos itens para defesa em caso de pânico e nem entidades mais e menos perigosas, todas estariam à mercê do ocultista, e isso não acontece.

O sistema goetio funciona melhor como uma ponte de comunicação relativamente segura entre você e o espírito em questão, uma espécie de skype demoníaco onde existe poucas chances de você ser hackeado, sacaram?

Skype? Posso conjurar entidades para papear?

Vai se fuder, né.

Os espíritos e suas descrições.

Todos nós já conhecemos bem as descrições dos espíritos que encontramos no Legemeton e em outros livros de goetia, elas deveriam servir de “catálogo” de demônios e claramente isso não só soa como é uma enorme bobagem, vejam o exemplo:

Demônio X tem Y anos e pode comer seu rabo caso você mije fora no penico

Demônio A tem B anos e é gentil como uma margarida.

Claramente você optaria por começar com a entidade X ao invés da B, correto? Mas o que te garante que em TODOS ESSES ANOS ninguém traduziu isso errado e ao contrário? E quem te garante que essas informações eram reais? E quem garante que EM TODOS ESSES ANOS nada mudou?

Tem que ser muito imbecil para apostar tanta coisa simplesmente porque um livro disso, não é?

Em quem devo confiar?

No Portal Atos Negros.

Zueira, inicialmente você não deve confiar em ninguém, essa é a premissa de todo ocultista solitário, com o tempo ele pode ser adotado por um mestre ou vir a entrar em contato com pessoas reais e confiáveis, formar grupos, entrar em ordens e então sim ter um círculo oculto que realmente irá falar a verdade para ele, e é desse círculo que ele tirará informação confiável sobre esses espíritos, informação vinda dos experimentais.

O que é um experimental?

O pesadelo de toda mamãe, o cara é inteligente, organizado, coeso e pé no chão, mas ele tem um sério problema, ele não valoriza a própria vida e nem a de ninguém ao seu redor, e como quase toda pessoa inteligente um tipo desses acaba se envolvendo com ocultismo e mesmo sabendo que as descrições arcaicas estão erradas ele faz o ritual, dá a cara a tapa e se sobreviver tempo o suficiente ele cataloga tudo e passa adiante.

Então não posso praticar goetia sozinho?

Claro que pode, porém tenha em mente que você praticará mais o sistema em si e não a busca pelos 72/72 demônios, pois você utilizará o sistema para benefício próprio conjurando outras entidades que lhe forem de interesse.

Bom, vou terminando por aqui.

Lembrando que Caso essa matéria tenha uma boa nota dos leitores ela poderá receber uma continuação mês que vem.

Hasta.

O que achou da postagem?
+1
2
+1
0
+1
0

Related Articles

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *