A cada dia cresce mais o número de pessoas interessadas em Goetia, e com elas as perguntas mais doidas e infundadas aparecem, sem contar, claro, nos catchers que já estão praticamente completando a goetdex capturando todos os 72 espíritos do Lemegeton, e ainda procurando pelos 2 lendários que insistiram em ficar na ânfora de Salomão… pois é, não tá fácil pra ninguém.

Do que vamos falar nessa matéria?

Nessa parte pretendo tratar um pouco mais sobre as entidades e os principais aspectos que devem ser levados em consideração, e tentarei também apresentar um pouco do guia básico para se começar e obviamente o por quê dessa popularização toda.

Assim como o patinete, a boca de sino e o lança perfume a Goetia voltou à moda…

Exatamente, Goetia fez muito sucesso na idade média e deu uma reaparecida nos anos 2000 e pouco e sumiu e agora está voltando com todo vapor como uma espécie de prática iniciática… Isso mesmo que você leu INICIÁTICA, ou seja, a galera que tá começando bota os olhos logo de cara nas conjurações de entidades comedoras de cuzes, e a culpa disso tudo, além da internet, é de um rapaz chamado Michael W. Ford, um ocultista bastante competente com cara de modelo e que escreveu o praticamente best seller LUCIFERIAN GOETIA (o retorno), reparem que não estou falando do Illustrated goetia do Crowley, mas essa atual obra é bastante baseada nele.

Mas o livro é bom?

É um puta livro, estou terminando de ler e estou gostando de boa parte do conteúdo, apesar de não trazer nada novo sobre a Goetia em si ele apresenta um ponto de vista luciferiano/mão esquerda/i’m a punkrock bem interessante, sem dúvida uma leitura recomendável.

Então por que você tá reclamando, Gigim?

Ao meu ver o livro pecou exatamente no aspecto de facilitar demais as coisas e vender uma ideia errônea sobre os espíritos da Goetia, não que ele trate isso como verdade absoluta, mas para quem usa esse livro como portal de entrada ao mundo do ocultismo acaba comprando uma ideia bem perigosa de como se trabalhar com os espíritos do Lemegeton, onde o aspecto de supremacia do invocador para com o espírito se torna uma bela amizade.

Gigim, eu li e não vi nada disso.

Então continue com o bom serviço.

E o que é a Goetia senão o que ele apresenta?

A goetia é quando um cara muito problemático inventa de conjurar entidades de outros planos e decide que vai controlá-las para conseguir o que deseja, ou seja, pode até rolar uma relação menos violenta entre ambos porém sempre com os dois pés atrás, assim como deve-se fazer sempre que se negocia com entidades, é um jogo de poderes onde quem tem mais comanda e quem tem menos baixa a cabeça enquanto junta dinheiro pra comprar uma arma maior.

Os espíritos e seus níveis.

Não é de hoje que sabemos que os 72 são separados em níveis de influência infernal, apresentando seus poderes, cargo e tamanho de legião, provavelmente quando escreveram o Lemegeton já imaginavam que isso seria útil para que invocadores não mordessem mais do que podiam mastigar… A ideia era boa, mas o que aconteceu foi o exato contrário, nego olha a entidade mais cara, influente, e pirocástica e pede um playstation 4 pra ela… nem preciso dizer que isso simplesmente não funciona, porque a regra é clara, se você não tem capacidade de conjurar a entidade, simplesmente nada vai acontecer.

Então não há riscos?

Sempre haverão riscos, como citado, caso você não tenha capacidade de conjurar o bicho nada vai acontecer, porém se você tem essa capacidade tudo pode dar muito errado por você não ter capacidade de controlar a entidade, e é então que você se transforma num vale-cu.

E então, como posso tirar proveito dos níveis?

Lembrando sempre que não são só os níveis que ditam o que você deve ou não invocar, porém levando em consideração somente esse aspecto digamos que ele vai servir de termômetro para o seu grau de entendimento e controle energético, ou seja, antes de invocar um espírito goetio você precisa fazer um laboratório com entidades menores, para refinar o seu sistema e aprender com seus erros.

Como descubro meu nível?

Conversando com outros invocadores você vai ter ideia do nível que já alcançou, sabendo sempre respeitar opiniões e ouvindo com atenção o que os outros falam você conseguirá se comparar a outros magistas e tirar uma média de até onde você chegou, lembrando sempre que estou falando de magistas de verdade e não de catchers, isso é muito importante de saber identificar.

Outra forma também é estudando a fundo as entidades e compará-las à outras que você já tenha invocado, seria a forma mais correta porém menos segura já que você teria de entrar de cabeça no mundo da invocação.

Boa, e quais outros aspectos devo levar em conta?

Tudo deve ser levado em conta, mas as informações que comumente achamos são sobre cargo, metal e planeta, isso mostra bem o temperamento e o poder de um espírito mas nada impede que você estude mais sobre eles de forma histórica, afinal boa parte deles já foram Deuses de antigas culturas pagãs e foram simplesmente demonizados, estudar seus cultos te trará um entendimento muito mais importante do que o contido no Lemegeton.

Então o Lemegeton é uma furada?

Não totalmente, porém muita coisa das descrições dos espíritos pode ser desconsiderada.

Tipo o que?

Um dia faço uma matéria sobre isso, baseado na minha experiência de invocação. Mas não hoje e não por você.

Não me importo, vou começar com Goetia mesmo assim, e hoje a noite!

Bom, a frase que responde esse tipo de atitude você já conhece… o cu é teu, campeão.

 

PS. Para os fanboys do M.W. Ford que só quiserem arrumar baderna no tópico… nem tentem, ok.

E mais uma vez vou parando por aqui antes que fique cansativo, reparei que as matérias andam grandes demais, deixem um feedback se isso é só impressão minha.

Hasta


GOSTOU DESSE CONTEÚDO? QUER VER MAIS SOBRE ISSO OU SOBRE UM ASSUNTO DE SUA ESCOLHA? SEJA UM APOIADOR DO PORTAL E VEJA AS VANTAGENS, CLIQUE NO LINK PARA SABER MAIS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui