Exercício de respiração energética pelos poros

Mais uma adaptação da obra de Franz Bardon, um exercício simples que tem como objetivo aumentar a afinidade do magista com a energia de seu corpo e ao redor do mesmo.

Sabemos que nosso corpo exala a todo instante uma quantidade de energia, essa varia de acordo com o nosso humor, constituição física, estado de saúde e etc.esse exercício é um dos primeiros passos para que possamos controlar o ritmo e quantidade de energia que será exalada ou absorvida por nós no dia-a-dia. As aplicações desse tipo de controle são muitas, as que passarei muito em breve é a tão falada na comunidade “área de presença” e a própria energização de objetos mágicos que se não me engano já postei aqui no site, vamos ao exercício em si.

Começando.

Primeiro deixo claro que esse apesar de ser um exercício básico requer um bom nível de concentração e seriedade do praticante, e claro um lugar privado onde o mesmo não será incomodado durante as práticas, lembrando que essa pode ser feita em grupo mas, claro, multiplicando em muito as chances de falha.

Depois de encontrado um ambiente agradável para começar o exercício, coloque-se em posição de lótus e pouse as mãos sobre os joelhos, concentre-se inicialmente em sua respiração, perca toda a euforia inicial, você ficará bastante tempo por aqui então não adianta pensar em mais nada senão o exercício, a única coisa nesse primeiro estágio que importa é simplesmente pensar apenas na sua respiração, organize-a controle-a ao ponto que ela se torna um ritmo único e contínuo e automático. Nesse ponto os primeiros sinais do batimento cardíaco começarão a aparecer, talvez você sinta seu corpo balançando ou até mesmo ouça as constantes batidas, acostume-se com ela trate-a como a música que lhe acompanhará nesse exercício que é de respiração e sabemos bem que batimento cardíaco e respiração andam de mãos dadas.

Quando atingir o estado de calma e paz momentânea do exercício voltaremos a prestar atenção na respiração, dando enfase ao ar inspirado em si. Ao respirar podemos sentir as vias nasais dando espaço para o oxigênio, sentimos o pulmão inflar e desinflar, o ar entrando e saindo do nosso corpo, e é nisso que você prestará atenção para que então possa haver a conversão de valores.

A Conversão.

Quando todos os estágios anteriores estiverem funcionando automaticamente cabe a você converter a visão física do que é o ar em energia. A energia por muitos é vista como uma espécie de vapor leve sendo exalado pelo corpo de cada um, por outros como um clarão de luz, nesse exercício trataremos a energia como forma de vapor, uma leve fumaça morna e inodora que invade seus pulmões e dentro deles gira no ritmo do seu batimento cardíaco e depois sai pela sua boca se espalhando ao seu redor, visualize esse ciclo se repetindo inúmeras vezes até que essa névoa energética cubra tudo ao seu redor.

Respirar pelos poros.

Eu particularmente não gosto de usar o termo “respirar” mas se facilita pra alguns que seja. nesse momento onde toda a energia sendo visualizada como névoa lhe cerca você provavelmente poderá senti-la com sua pele, normalmente como uma espécie de calor leve ou brisa morna. É então quando você imaginará seus poros como entradas “nasais” que junto com a sua inspiração ira sugar essa energia para todo o conteúdo dos eu corpo, inicialmente imagine seu corpo como uma casca oca que vai se preenchendo com essa energia e em seguida se esvaziando dela com a expiração, seria como converter o corpo inteiro num grande pulmão que vai inspirando essa névoa energética e logo depois a expira gerando uma névoa ao seu redor ainda maior.

A Intensificação.

Agora vem a parte importante disso tudo, não iremos apenas transitar essa energia pelo nosso corpo energético, mas sim intensificá-la a cada inspiração.

Depois de todos os passos anteriores realizados iremos ao último e mais importante.aumentar o brilho ou seja intensidade dessa energia que é inspirada. A cada vez que seu corpo inspirar a névoa energética essa deve brilhar e se aquecer dentro do seu corpo energético, seja durante a inspiração ou durante a expiração, o importante é que ela se intensifique cada vez mais e mais ao ponto de brilhar e esquentar tanto que seu corpo sue e sua mente se torne apenas um clarão energético. Repita o processo até alcançar esse nível, então vá diminuindo o ritmo seguindo os passos de trás pra frente até chegar ao nível de uma simples respiração.

Fim da primeira peça.

O que achou da postagem?
+1
1
+1
0
+1
1

Related Articles

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *