Violet Mary Firth, Nascida em País de Gales em 1890, Dion Fortune foi uma das oculistas e escritora mais conhecida do século XX. Seu pseudônimo está inspirado em “Deo, non fortuna” (en latim: “Deus, não o destino”). Estudou psicologia e psicanálise.

Por volta de 1910, após sofrer uma crise nervosa, que viria a ser por ela explicada como resultado de uma “agressão mágica”, que teria rompido sua Aura e abalado sua saúde. Interessou-se pelo Ocultismo.

Teve suas primeiras visões (da Atlântida) aos quatro anos, e aos vinte havia desenvolvido capacidades psíquicas.

Fortune que era membro da Sociedade de Teosofía, também pertencia a loja Alpha e Ômega, Ordem Hermética da Aurora Dourada. Porém, sofreu o que ela chamava un “ataque psíquico” (afirmou que tinha sido vítima de magia negra) e abandonou essa ordem para ir a outra: A Estrela da Manhã.
Igual que muitos outros ocultistas, Fortune era uma pessoa criativa, em 1919 começou a publicar obras de ficção, que giravam em torno a magia e ao misticismo. Entre suas obras The Sea Priestess (A sacerdotisa do mar, 1935), que tinha grande influência em movimentos Wicca e Goddess,e The Mystical Qabalah (a cabala mística, 1935), que contribuiu muito em desenvolver a popularidade da cabala hermética.

 

No início da segunda guerra mundial deu lugar a um dos episódios mais curiosos da história recente da magia. Escreveu de uma maneira regular a Sociedade da Luz Interior, dando conselhos sobre como ajudar através da “resistência psíquica”.

Durante um tempo, Fortune viveu no pé da colina Glastonbury Tor, um lugar muito ligado a magia. Foi onde afirmou que tinha recebido conhecimento que se converteria em The Arthurian Formula (a fórmula Arturiana), a base das atuações da Luz interior.
Fortune morreu em 1946.

by Níssia Cristina