Fala galera, segue uma re-postagem sobre os espíritos da Goetia, devido aos padrões do Google, algumas postagens antigas voltarão atualizadas

Bael

Março 21-30  Dois de paus  Sol  Ouro 1º a 10 Áries (dia)

mantra: Ayer Secore On Ca Ba’al

Introdução

Bael, Baal ou Baeli (deve ser pros íntimos), vem da simples palavra “senhor”, ele é tido simplesmente como o rei do Inferno, ou senhor do inferno, governa sobre 66 legiões de espíritos e é conhecido por ser uma das entidades mais poderosas dentre os 72, também é o comandante das forças bélicas do inferno e ocupa o cargo de 1º monarca infernal na maldita trindade, incrivelmente o que se acha sobre as dádivas que ele pode conceder não parece muito impressionante ou diferencial, ele concede servos, sabedoria e invisibilidade.

E o que tem de bom nisso?

Sabemos que servos simboliza a riqueza que pode ser adquirida com tratos, afinal maioria dos textos são medievalistas e o pensamento sobre o senhor de muitos escravos/servos mostravam o tamanho da riqueza de cada um, logo se ele pode lhe conseguir servos isso que dizer que poderá ter uma riqueza, e além disso uma riqueza duradoura pois servos fariam do homem cada vez mais rico, que significa assim para nossos tempos uma chance de negócios mais voltado à questões empresariais e etc.

Seja sábio, rapaz…

O lance da sabedoria é bem simples de se entender, o maior presente que pode ser dado a um homem é a sabedoria, em vários casos na história tivemos exemplos disso, o homem pode ter toda a riqueza que consegue imaginar porém nunca terá toda a sabedoria existente, grandes líderes mundiais já arriscaram seus traseiros em busca do “algo mais”, e é isso que nosso amigo infernal poderiam conceder, conhecimentos além do que pode-se encontrar em simples livros e etc, podem chamar isso de magia, viagem louca, insight ou de visionarismo, mas com certeza muitos dos grandes inventores/descobridores/visionários alegam ter tido contato com entidades sobrenaturais.

O homem invisível

E por fim a mais curiosa de todas, a invisibilidade, muitos tentam levar ao pé da letra e imaginar que alguém ficaria translúcido, outros tentam racionalizar e traduzir como uma presença invisível mas na verdade poucos sabem a real utilidade de se estar invisível. Você pode ter todo dinheiro do mundo, toda a sabedoria que conseguiu enfiar no cérebro mas se você tem um desafeto ou uma dívida com alguém isso com certeza pode atrapalhar os seus planos, muitos se perguntam “por que tal pessoa simplesmente não some”, e eis a resposta para seus problemas, torne-se invisível. Entendam que estou falando aqui a nível superior, ocultista pesado e não de agiotas lhe cobrando dívidas mundanas, muitos já me perguntaram como se quebra um pacto com uma entidade, a resposta é sempre a mesma… fazendo outro.

Considerações

Reparem que os poderes dele são tudo o que um homem precisa pra ter sucesso e vida aproveitável, e reparem também que ao começo do parágrafo em questão citei que eles não eram tão interessante, quero que entendam que sei a magnitude de tais dádivas e que ninguém melhor que o próprio rei do inferno para lhe oferecer isso (prazo de entrega curto porém juros altos), mas entendam que como estudante e praticante de goétia assim como eu vocês perceberão uma repetição contínua de tais regalias, porém vou deixar que vocês mesmos percebam ao decorrer do programa.

Mostra a cara, vagabundo!

A Aparência do nosso Rei infernal não deixa a desejar nem um pouco ao seu cargo, as forma simples seriam um gato preto, isso representa sua dádiva da invisibilidade além da esperteza e enigmática felina, pode ser também representado por um sapo, talvez sua forma mais complicada de entender devido às nossas tradições católicas onde sapos são sempre os vilões ou ingredientes para bruxas, apesar disso lembrem que Bael por ser conhecido, também, simplesmente como Diabo foi peça fundamental na bruxaria européia pré cruzada, onde bruxas faziam intensos pactos com o Capiroto, e adivinha qual era o bichinho  representativo favorito das bruxas quando o assunto era o chifrudo? Isso mesmo, gatos e sapos, o que reforça mais uma vez as formas assumidas por Bael, e claro por representação mágica o sapo simbolizaria a magia e o ocultismo em si contido na entidade em questão. E por fim sua última representação, um homem com uma coroa; não preciso nem explicar muito essa forma, a qual representa a magestade infernal que o espírito carrega, a coroa até hoje vai nos lembrar grandes reis e esse espirito a ostenta com grandeza e estilo até onde li, por Baal já ter sido um deus pagão cultuado na antiguidade acredita-se que essa forma de monarca também remeta a uma existência humana onde o mesmo foi rei e ascendeu à deus (o que não era tão complicado na época) e por fim com o desmantelamento de seu culto caiu à demônio.

E ainda não acabou não

Belas formas para se começar, porém temos ainda uma terceira forma, a qual imagino ser criação de mentes loucas pois é simplesmente a junção das 3 anteriores mas apenas as cabeças sendo em ordem da esquerda pra direita (em sua maioria) gato, rei e sapo (o rei no livro The Illustrated Goetia Aleister Crowley tem o rosto do próprio crowley), essas três cabeças são unidas por um tronco de carne que pode terminar em: um corpo de homem similar a uma múmia, uma aranha, uma massa disforme com patas de aranha, uma massa disforme com patas de gato, sapo e bode ou um sapo, vai varias de livro pra livro, por isso desconsidero um pouco essa forma que apesar de sinistra me parece apenas um chamariz pra dar um “than” na história.

Furry?

Apesar de suas formas animais Bael fala com você, e para isso apresentará uma voz rouca e velha, a maioria de suas representações ele não é nenhum garotão, provavelmente um senhor pela casa dos 60. E a maioria dos livro remetem à necessidade de respeito ao se tratar com tal espírito, afinal é o primeiro monarca do Inferno e existe todo um protocolo para se trabalhar com esse tipo de entidade.

E como é?

Bom, não vou lhe contar sobre experiências com tal espírito, primeiro porque não as fiz e não pretendo fazer tal invocação simplesmente para fins acadêmicos. Mas pelos relatos que encontrei pela internet, livros e conhecidos acredito que praticamente ninguém da nossa geração realmente faz a evocação de Bael com eficácia, lembrando que digo isso como invocadores livres, ou seja, não pertencentes a nenhuma ordem de velhos que provavelmente recontam velhas histórias como sendo suas, ou seja nada de realmente concreto sobre trabalhos com Bael é fácil de ser encontrado e o que normalmente se encontra são delírios de mentes pouco maduras, o que é triste pois essa parece ser uma entidade bem interessante.

E por fim

Concluindo esse pequeno artigo, como autor, posso dizer que Bael é um espírito poderoso, interessante e velho, e tudo que remete á ele é velho, poucos foram os ocultistas que tiveram a chance da experimentação com trabalhos sobre essa entidade, infelizmente as informações permanecem escassas, fantasiosas e provavelmente desatualizadas e talvez inúteis.

NR.

Adendo1: Reza a lenda que os cartagineses certa vez realizaram um ritual à Baal onde sacrificaram 500 bebês filhos das 500 famílias de nobres do local, todos foram levados aos pés de uma estátua de Baal e queimados vivos.