Bem galera, venho falar de um assunto que vai um pouco além do âmbito totalmente iniciante, ou seja, se você não saca nada de ocultismo ou tá começando agora é melhor que largue esse texto e vá ler um Bardon ou Crowley e deixe esse assunto para um futuro próximo. Bem recado dado podemos começar a falar do que interessa: A comunicação com o lado de lá.

Esse texto será dividido em várias partes nas quais irei tratar de algumas das várias formas de se comunicar com algumas das várias formas de existência que existem entre os planos não físicos. Obviamente muitos irão discordar ou citar formas mais práticas ou não, mas todo mundo aqui sabe que cada ocultista se adapta melhor à sua técnica logo isso não será discutido.

Vamos falar de fantasmas?

Vou começar com a forma mais simplória de existência que podemos encontrar, os fantasmas. Em toda cultura encontramos alguma espécie de fantasma, seja esse uma alma aprisionada no nosso plano, seja resquícios de consciência que se desprenderam de alguém na hora da morte não adianta sempre teremos algum tipo de fantasma.

Nesse texto vou encarar o que muitos chamam de espírito ou alma penada, ou seja a essência espiritual de alguém que por algum motivo desconhecido (ou não) ficou vagando pelo nosso plano em busca de algo.

Onde encontro um?

No Wallmart mais próximo, claro! Sem zueira, essa pergunta é um tanto complicada… não existe um guia de fantasmas, ou ao menos nenhum que funcione, o que se você parar pra pensar é meio esquisito já que é o tipo de manifestação sobrenatural mais conhecida por todos, mas que seja vamos dar alguns exemplos de locais onde essa galera deveria aparecer.

Cemitérios: Jura???? Pois é, muitas pessoas acreditam que fantasmas podem ficar zanzando próximo de onde seu corpo físico foi enterrado, logo um cemitério seria uma espécie de rave sobrenatural com vários fantasminhas trocando ideia, dançando e jogando gamão.

Casas Antigas: Essa lenda remete de que pessoas que morrem dentro de casa tendem a continuar morando no local, ou pessoas que viveram muito tempo num determinado local ficariam ligados à ele de algum jeito, ou seja quanto mais antiga a casa e quanto mais proprietários e moradores ela teve melhor o campo pra colher fantasmas.

Igrejas: Pois é, nem elas escaparam, igrejas atrairiam fantasmas que estão à espera do dia do juízo, obviamente seriam “fantasmas católicos” e iriam aparecer por volta das horas das missas e estariam na primeira fila esperando o padre falar FUDEU!

Locais de morte: Isso engloba qualquer lugar onde muitas pessoas morrem, inclui hospitais, casas de repouso, esquinas onde rolam muitos acidentes, antigas construções de execução e etc.. A galera ficaria presa lá por não saber que morreram e misticamente ficariam presos ao lugar, perdidos.

Obviamente existem muitos outros lugares de acordo com cada cultura mas com esses você já pode começar a sua pesquisa.

 

Como me comunico com um fantasma?

Como citado anteriormente existem várias formas, as que falarei aqui são bem simplórias e com o tempo vou passando algumas mais complexas.

Tábua Ouija: Sim, ela é vendida em loja de brinquedos, consiste numa tábua de madeira (na maioria dos casos) com letras escritas nela, a palavra “sim” e “não”, um sol, uma lua e um adeus, elas podem variar com coisas do tipo “bom” e “mau”, “céu” ou “inferno”, uma espécie de dicionário T9 para espíritos.

O funcionamento dela é simples, deve-se ir num dos locais citados que tenha fama de atrair fantasmas e nele deitar a tábua, usa-se uma espécie de ponteiro onde todos colocam suas mãos e o resto a entidade faria respondendo às perguntas da galera.

Compasso: Variação brasileira da tábua ouija, onde pega-se uma folha de papel e escreve-se o alfabeto, as palavras “sim” e “não”, com variações assim como na tábua ouija, porém nesse caso coloca-se um compasso no meio que será mantido em pé pelo dedo do mais espertinho da galera, e a entidade faz o resto girando o compasso como o ponteiro de um relógio.

Copo: Exatamente igual à tábua ouija porém ao invés do ponteiro usa-se um copo.

Pêndulo: exatamente igual ao compasso, porém utiliza-se um pêndulo de metal ou pedra.

Espelho: Agora a porra começa a ficar séria, nesse caso o ocultista leva para esses lugares um espelho negro consagrado, ou espelho comum caso o ambiente seja escuro, ele então observa as manifestações acontecerem dentro do espelho, quando elas ocorrem ele projeta sua consciência para o espelho e bate um talk show com a entidade que apareceu.

Transe: Uma espécie de projeção mental na qual o ocultista convida a entidade em questão para visitá-lo durante um estado de transe induzido, muito parecido com o espelho porém as experiências tendem a ser mais “claras”

Projeção astral: A mais complicada, o ocultista se projeta para o local em questão para verificar sua versão astral, sendo assim podendo enxergar os habitantes desse local e se comunicar com eles.

 

Bom, essas são algumas das formas para se comunicar com fantasmas, algumas bem simples outras nem tanto mas todo mundo conhece ao menos uma pessoa que já executou uma delas e diz ter tido êxito, então fazer o que né.

Vou terminando por aqui para que o texto não fique muito cansativo. Você já tentou alguma dessas? Tem algum relato? Comente aqui, a galera desse lado e do lado de lá agradecem.

Expresse sua reação
Like
Love
Haha
Wow
Sad
Angry

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui