Conjuração – estudo sobre entidades

Conjuração vem do Latim, de acordo com a Wikipédia significa algo como “jurar junto”, mas sabemos que existem muitas interpretações para esse termo.

Conjurar é praticamente sinônimo de evocar, ou seja, não pode ser de forma alguma confundido com invocar. Mas por que toda essa veadagem? Realmente eu não sei bem quando o termo utilizado se tornou mais importante que o ato em si… Já vi discussões intermináveis por conta de nego usar evocar, ou conjurar ou invocar e alguém interpretar de forma errada, porém eu sempre gostei do termo conjurar quando o assunto é CONVOCAR ENTIDADES.

E sim, é sobre esse assunto que gostaria de falar nessa postagem, a convocação/conjuração/evocação de entidades. Reparem que também estou usando o termo neutro ENTIDADE para que não rotulem esse meu começo de postagem de forma errônea, mas logo, logo chegarei ao meu tema e pararei com essa veadagem.

O que viria a ser a conjuração de entidades? Bom, a grosso modo você teria um ocultista (ou um grupo deles), um método (sistema) e uma entidade alvo a qual deseja-se entrar em contato, dependendo do sistema podemos fazer algo mais do que entrar em contato como, negociar tratos e até comandá-la mas, vamos nos ater ao simples fato de conseguir trazê-la para dentro do ambiente gerado.

Como assim ambiente gerado?

Pois é, praticamente todo ritual de conjuração tem um espaço definido onde a entidade irá ocupar enquanto estiver nesse plano, seja triângulo, círculo, bloco, esfera ou folha de papel, sempre haverá um local restrito onde ela poderá usar de “palco” na conjuração, e isso é interessante ressaltar pois ninguém cita como forma de expulsar a entidade, quando incontrolável, destruir essa área de conjuração, o que pode em alguns casos ser muito eficaz.

A muito tempo atrás estava trabalhando num ritual nomeado “chamado do plano inferior”, que tinha como intuito gerar grandes áreas de conjuração, felizmente nunca foi executado de forma totalmente eficaz, mas a mecância de funcionamento é bem similar à de preparação de ambientes de certas culturas no pré-conjuração.

E de que tipo de Conjuração falaremos?

Da minha linha de trabalho, Espíritos Goétios e similares, óbvio. E o por que de alguém trabalhar com esse tipo de entidade e como elas se comportam com o público de hoje em dia.

Vai escrever um tutorial de como invocar goétios, Gigim?

Não, já tentei e deu merda, mas gosto de conversar sobre o assunto e por isso trago ele mais uma vez à tona aqui no portal. E hoje vou tratar um pouco sobre o principal motivo pelo qual você conjura um goétio. Auto-afirmação.

A maioria dos ocultistas atuais são belos comedores de livros e pegadores de meninas com menos de 5g de cérebro que se encantam com qualquer texto retirado de um livro que não foi scanneado ainda. Ou seja, essa atual geração tem menos ocultistas que a minha teve, o que não é nada legal porque a minha geração também gerou pouquíssimos praticantes reais, tanto que anos passam e eu sempre repito que não conheço simplesmente nenhum praticante real de conjuração goétia no meu estado e ainda não tive o prazer de conhecer nenhum, mesmo que virtualmente, no Brasil. Uma pena

Levando em consideração o que a gente lê por ai sabemos que a tendência é piorar, no meu tempo os pink-wiccas eram o que de pior tinha, hoje temos ONAfags, SatanistasVegans e a PokeGoetia, que pasmem consegueim SIM ser pioers que a pink-wicca, pois essa ao menos pregava a paz e blábláblá, mas sempre que o bixo pegava tentavam praticar uma coisinha ou outra mais punk-rock, ponto pra eles.

Porém o mal dessa nova geração é que eles simplesmente não praticam nada, e repito NADA. Pelo simples fato de que só dizer que fazem já é o suficiente para entrarem em grupos, covens, nexions e etc. O ocultismo hoje nada mais é que uma mesa redonda de críticos.

E Onde entra a conjuração nisso Gigim?

Entra porque que é normalmente a ferramenta utilizada para gerar a AUTO-AFIRMAÇÃO definitiva para que o cara tome um rumo, ou não. Nada te faria acreditar mais no mundo oculto do que ver um puta capetão na sua frente, né?

Agora imagina quantas entidades estariam dispostas a sair lá do cantinho quentinho delas só porque você tá inseguro… Melhor procurar um terapeuta… ou uma namorada. Se pra pessoas isso já é irritante, ser alugado por alguém imbecil e sem culhões imagine para uma entidade milenar? Por conta disso eu digo e repito, essa molecada que fica ai batendo cabeça, pintando a cara e lendo conjuração nunca vai evocar nada, porque simplesmente não acreditam nisso, estão fazendo o caminho inverso.

E a galera interessada que tenta e não consegue?

Emprego errado. Acontece, vá caçar outra coisa pra fazer até ter habilidade pra conjurar afinal é melhor do que dar errado né?

Mas vou fazer e foda-se o resultado…

meia hora depois:

 

Porra, Gigim! Isso foi grosseiro.

Foda-se, não no meu ponto de vista. Veja pelo mundo real, nem todo mundo sabe pintar, cantar ou bater em outras pessoas, certas coisas são afinidades de cada um e eles farão naturalmente ou aprenderão com muita facilidade, não podemos ter um mundo onde todos saibam pintar, a arte acabaria, a única coisa que todo mundo pode ser é DJ.

Logo quando digo que você, que é esforçado tá fazendo tudo certo, mas não consegue conjurar. Procure ,por hora, outra linha mágica que te interesse e cresça nela, e depois você tenta de novo tendo muito mais maturidade e sabedoria. Eu mesmo comecei com divinação, e hoje minha principal área de atuação é a evocação.

Porra, Gigim! Eu sou DJ, isso foi grosseiro…

Ok, foi mal… agora toca ai uma música maneira… DE OUTRA PESSOA.

Como funciona a conjuração em si?

É simples e não é, digamos que a lógica é simples mas os métodos são um CU. Inicialmente devemos atender a todos o requisitos básicos para a conjuração, alguns obrigatórios são: manipulação energética, leitura energética, meditação, projeção astral, projeção mental, controle psicológico e físico extremos e linguística.

Obviamente dependendo do ritual outras coisas podem ser pedidas, mas vamos pelo básico. Tendo isso você deve escolher dentro do alcance do ritual qual tipo de espírito você irá conjurar por sua essência principal, ou seja um “espírito da guerra”, “espirito da sabedoria” etc… cada espírito tem em sua descrição sua essência e você poderá saber o que quer lendo-a.

Feito isso cabe a você efetuar o rito e gerar seus primeiros vínculos energéticos com o tal espírito, e é ai que entra a grande questão do por que conjuração não servem para a auto-afirmação. Você raramente vai ter o melhor resultado na primeira tentativa, o espírito chamado só terá uma boa comunicação com o conjurador depois de várias sessões de conjuração, onde um vínculo já tiver sido criado, e isso demanda tempo e paciência.

Expresse sua reação
Like
Love
Haha
Wow
Sad
Angry

Latest articles

( INTRODUÇÃO) O Devorador de pecados

Eis um nome que chama mais atenção que seu significado. o Devorador de Pecados é uma tradição que não é mais praticada, provavelmente por...

(LIVRO ZERO +18) Capítulo 41 – O homem amarelo do morro.

Como esperado do Rio de Janeiro era um final de tarde quente, onde pessoas iam e vinham sem camisa e usando o mínimo de...

(PODCAST) Cabala, Qlipoth, Esporro e Fim do mundo

Fala galera, nesse podcast falamos sobre alguns assuntos que geraram polêmica lá no grupo do Whatsapp. Nesse modelos de Ocultcast eu trato de uns...

Sociedade Secreta: Opus Dei

O Código DaVinci, um dos livros mais vendidos da época moderna, chamou a atenção para uma instituição católica pouco conhecida - Opus Dei. Mas...
44,2k Seguidores
Seguir

Related articles

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Expresse sua reação
Like
Love
Haha
Wow
Sad
Angry