Celebrações de fim de ano de outras culturas (pt-2)

Olá pessoas, as festas de final de ano estão batendo na porta e sempre fico um pouco ansiosa. E vamos para a segunda parte da matéria sobre celebrações pelo mundo.

Yule vs Natal, qual é a diferença?

Historicamente, é mais uma questão de por que o Yule também é chamado de Natal, e não o contrário. Um número surpreendente de tradições que agora estão associadas ao Natal são, na verdade, práticas pagãs muito mais antigas, usadas pelos antigos europeus do norte para mostrar respeito ao retorno anual do nosso sol.

Aqueles que afirmam que o feriado não pode ser corretamente conhecido como outra coisa senão o Natal, muitas vezes afirmam ter história e tradição ao seu lado. Este pode ser o verdadeiro começo com a globalização do Cristianismo. Mas a humanidade estava celebrando o retorno do sol muito antes de Jesus Cristo ser conhecido.

Hoje, a maioria dos cristãos nem mesmo está ciente de que a maioria de suas adoradas tradições de Natal, como árvores de Natal, Panettone, troncos de Natal e visco, foram na verdade removidas de religiões pagãs anteriores. Acredita-se que até mesmo o Papai Noel e suas 8 renas sejam uma encarnação do deus nórdico Odin e seu cavalo de 8 patas Sleipnir.

Os primeiros pais da Igreja Católica não eram idiotas. Eles perceberam que a maneira mais rápida e eficaz de envolver as pessoas no cristianismo era incorporar as tradições e os festivais do antigo culto ao novo. Então, como agora, a maioria das pessoas resistia à mudança, então permitir que as pessoas comuns mantivessem seus rituais familiares tornou muito mais fácil doutriná-las na adoração a Jesus.

O solstício de inverno sempre foi crucial para nossos ancestrais, cuja existência inteira girava em torno dos ciclos de crescimento do ano. O inverno significava a época mais pobre do ano para a maioria, mas o fato de o sol ficar mais forte a cada dia desde o solstício e a promessa da primavera deram às pessoas esperança e conforto durante os longos e escuros meses de inverno.

Nossos antepassados, movidos pela agricultura, viram o retorno da luz como um motivo para comemorar, e eles comemoraram. O solstício era uma ocasião marcada por banquetes, bebidas, presentes e muita alegria.

Acredita-se que a palavra “Yule” em si seja um derivado de uma antiga expressão escandinava que significa “roda”, embora a etimologia precisa ainda seja um tópico para debate. As conotações associadas com “roda” parecem bastante adequadas para a origem da palavra Yule, especialmente quando se considera que Yule foi, e é, um marco importante em nossa jornada anual ao redor do sol, ou “roda” do ano. Muitas culturas, antigas e novas, escolheram esta época para comemorar a chegada de um novo ano. Para nós, bruxas, Samhain é geralmente o nosso ano novo, no entanto, com o passar do tempo, muitos de nós ainda celebramos o ano novo com o resto do mundo e também com o Samhain. Por que não ser eclético ?!

As sempre-vivas sempre foram um importante elemento simbólico do Natal, que mais tarde foi incorporado às tradições do Natal. Azevinho, hera e visco são todos folhagens natalinas familiares que fazem parte das celebrações do solstício pagão na Europa há milhares de anos. As sempre-vivas são potentes lembretes da imortalidade, um complemento perfeito para o sol que renasce todos os anos no final de dezembro.

A celebração do Natal é simplesmente a mais recente de uma longa lista de feriados do meio do inverno que celebram o renascimento de uma divindade sacrificada. Os nomes podem ter mudado, mas o mito fundamental permaneceu constante nas brumas da pré-história. Alguns podem ver isso como uma blasfêmia, enquanto outros se consolam com o conhecimento de que a humanidade tem sido notavelmente consistente com os princípios básicos de seus sistemas de crenças, se não com os particulares.

Um mito que remonta aos milênios é a história do Rei Azevinhi, representando o ano minguante, e do Rei Carvalho, representando o ano crescente, que lutam entre si pelo domínio anualmente nos solstícios de verão e inverno. Esta história pode remontar a uma época em que jovens do sexo masculino eram sacrificados para apaziguar as divindades que controlavam a mudança das estações.

A Lenda do Rei Carvalho e Rei Azevinho

Em algumas tradições, a observação ritual da Roda do Ano é aumentada pela lenda do Rei Carvalho e do Rei Azevinho. Representando o aumento e a diminuição do Sol conforme as estações mudam, as duas figuras se revezam governando o ano. O Rei Carvalho reina durante a metade clara, ou durante a primavera e o verão, enquanto a metade escura – outono e inverno – pertence ao Rei Azevinho.

Como governante da metade escura do ano, o Rei Azevinho é nomeado pela árvore perene cujas folhas verdes brilhantes e frutos vermelhos são uma visão bem-vinda nos meses frios de inverno. O Rei Carvalho, em contraste, tem esse nome devido às folhas em formato decorativo que simbolizam o auge do verão. Ambas as árvores são consideradas sagradas para os druidas e outros pagãos, e há muito são apreciadas por suas propriedades mágicas.

Os dois reis são irmãos, mas também rivais, que lutam entre si ao longo do ano, conquistando-se alternadamente conforme as estações mudam. As datas em que a batalha é ganha dependem da tradição. O Rei Carvalho assume no Solstício de Inverno, enquanto o Rei Azevinho ascende no Solstício de Verão. Outras tradições, no entanto, têm a mudança de regra ocorrendo nos equinócios de primavera e outono, de modo que o Rei Azevinho está no auge de seu poder no Solstício de Inverno, quando a escuridão reina suprema, e o Rei Carvalho está em plena glória em o solstício de verão, quando a luz está mais forte. Este último faz mais sentido para mim, mas é claro que vou deixar você seguir sua própria crenças


O DEBATE CONTINUA NO GRUPO DO WHATSAPP E NO DISCORD

GOSTOU DESSE CONTEÚDO? QUER VER MAIS SOBRE ISSO OU SOBRE UM ASSUNTO DE SUA ESCOLHA? SEJA UM APOIADOR DO PORTAL E VEJA AS VANTAGENS, CLIQUE NO LINK PARA SABER MAIS

VOCÊ TAMBÉM PODE APLAUDIR ESSA MATÉRIA FAZENDO UM PIX PARA: IMPERIUMFORTUNA@GMAIL.COM

O que achou da postagem?
+1
1
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0

Related Articles

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *