As convenções sociais na magia

Muitas das vezes em grupos de magia nos atentamos somente a inversão da roda do ano por causa do hemisfério que estamos, porém muitas outras convenções que são alteradas de acordo com o hemisfério são deixadas de lado.

Sentido horário e anti-horário

Uma delas, por exemplo, é a abertura do círculo mágico, diferentemente do que muitos imaginam há um fundamento geoespacial, para se rodar no sentido horário ou anti-horário. No hemisfério norte a movimentação do sol de leste a oeste é feito com um leve movimento ao sul, “para baixo”, sendo essa a forma que os antigos encontraram para fazer a marcha do sol e suas outras aberturas Ritualísticas.

No hemisfério sul acontece o oposto, o sol tende a fazer um leve movimento para o norte.E isso sim influência na prática do dia a dia de um magista.

Se quisermos seguir os antigos de maneira certa, sem as convenções sociais da magia moderna, devemos nos atentar que para uma invocação, ou para a abertura do círculo, o mesmo deve ser feito em sentido anti-horário, seguindo a “sabedoria do sol”, uma vez que para nós no hemisfério sul o movimento de banimento seria no sentido horário.

Claro que isto não se coloca acima das suas práticas sociais e da maneira que fique mais confortável.

A posição das torres dos elementos

Várias das Ritualísticas após a Golden Dawn se apoiam no sistema criado dentro dessa ordem, um deles é o sistema de quadrantes que foi reaproveitado também de outros sistemas.

Um dos rituais mais famosos do mundo foi amplamente divulgado pela Golden Dawn, o Ritual menor do pentagrama.

Nesse mesmo ritual além de possuirmos o problema do sentido em que giramos, temos o problema das torres.

Tais torres são puramente convenções que podem ser alteradas de acordo com a necessidade do magista, porém poucos sabem sobre isso, e muitos repetem cegamente a fórmula da Golden Dawn.

Quando chamamos Raphael, ao leste, estamos utilizando de uma chave/palavra de poder para a evocação da energia do elemento ar.

Quando chamamos a Gabriel, ao oeste, estamos chamando o elemento água

Ao chamarmos Mikael, ao sul, chamamos o fogo.

Ao chamarmos Uriel, ao norte, chamamos o elemento terra

As regências de cada elemento em cada ponto cardeal são de acordo com a localização onde tal convenção foi criada.

Na Europa ao norte temos grandes montanhas e andes, ao leste o oriente, é de onde há uma grande massa de ar que se circula por efeito do sol, ao sul a terra é mais quente e abaixo da Europa temos a África qual possui grande área desértica e quente, e ao oeste demos o oceano atlântico.

Porém no hemisfério sul, o calor excessivo que fica próximo a linha do Equador está ao norte, principalmente no Brasil onde temos nossa região desértica.
Nossos ventos são fortes ao oeste e ao leste, porém os ventos frios das regiões montanhosas ficam ao oeste, ao leste temos nosso oceano atlântico e ao sul as cordilheiras dos Andes.

Assim fazendo com que tenhamos fogo ao norte, água ao leste, terra ao sul e ar ao oeste.

Sendo que sempre é bom lembrar que a alteração desses quadrantes podem ser feitas da melhor forma que se adequar ao ritual, pois este processo é meramente uma convenção.

O que achou da postagem?
+1
0
+1
0
+1
0

Related Articles

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *