Começaremos pela diferença entre um e o outro. Amuletos são objetos naturais que surtem algum efeito no astral, como por exemplo, pé de coelho, ferradura, cristais, búzios,  etc… Já o  termo talismã e dado para objetos que foram fabricados pelo homem, como por exemplo, anéis, colares, runas, sigilos, etc…

Amuletos/ Talismãs é sempre um assunto muito bom, principalmente para iniciantes nos caminhos ocultos.

Mais afinal o que são estes amuletos / talismãs?

Basicamente são objetos, em sua maioria pequenos, que possuem alguma propriedade astral. Muito complexo? Vamos explicar, um amuleto / talismã e um objeto de qualquer tamanho e material que foi impregnado com alguma energia para que realize um propósito predefinido, sendo mais comum a proteção, sorte, afastar o mal, etc… No caso, se for um amuleto, esta energia vem de proveniência natural, e caso seja um talismã, de manipulação do homem.

Amuletos / Talismãs existem nas mais diferentes religiões do mundo, sendo tão diversificados quanto os métodos de produzi-los.

Um muito simples que existe no nosso cotidiano é a aliança de casamento (Talismã). A aliança provavelmente começou como um costume hindu para simbolizar casais, ou ate egípcio, passando pelos romanos ate chegarem aos cristãos que adaptaram a este costume para seus casamentos. As alianças passam por um processo de purificação em água benta e depois por uma benção por um sacerdote. Este amuleto pode ser traduzido como uma proteção para a união dos casais cuja energia vem da aura do padre que, em teoria, deve ser uma aura elevada por tanta oração ao seu deus, esta é claro é uma visão ocultista das alianças, um cristão com certeza definiria isso de outra forma.

Após muitos estudos sobre o assunto podemos dizer que o objeto então mantém a energia que lhe foi imposta pelo seu criador, sendo ele o homem ou a natureza, Sendo assim, se pegarmos uma simples pedra, que não possua propriedade natural (não é um amuleto), e a energizarmos com muito de nossa aura e colocando nela um propósito se torna um talismã? Sim se torna.

É simples assim a criação de um destes objetos?

Tudo depende do método que usar, existe centenas deles pelos quatro cantos do mundo, dos mais simples aos mais complexos. Pesquise um método que se adapte as suas crenças e conceitos. Caso queira um exemplo o método que eu uso é uma adaptação minha do método Hermetista usado por Franz Bardon (Falaremos um pouco dele mais a frente) em uma de suas principais obras, Iniciação ao Hermetismo.

Antes de tudo fecho um circulo mágico em minha volta para proteger meu amuleto em quanto realizo meu ritual como descrito anteriormente. Purifico o objeto que desejo tornar um amuleto usando água corrente, incensos, velas e terra já direcionando a energia da minha aura, através da mentalização (Como nos diz o hermetismo), de forma a unir os quatro elementos para purificar o objeto. Após isso posto meu amuleto, agora limpo em minha frente, mentalizo minha energia, junto com a do universo, indo em direção a ele, envolvendo o mesmo, e enquanto isso impregno de forma vocal ou apenas dizendo as palavras dentro da minha mente, o que quero que ele faça ou realize. Normalmente coloco junto de meu mantra a ordem de que o amuleto deve se manter carregado de energia do universo para manter-se em ação pelo tempo que demorar seu objetivo. Repito esse procedimento energético ate ter certeza que uma boa quantidade de energia foi colocada, depois disso termino o ritual com o amuleto pronto para meu uso ou de outros. Em alguns casos, quando exige uma ligação comigo, deixo cair uma gota de meu sangue sobre o amuleto, assim o mantenho ligado a mim e de certa forma vivo com meu sangue porem, este método, apesar da eficiência, só deve ser usado para amuletos feitos para você mesmo ou para alguém muito próximo e de alta confiança, afinal, possuirá uma ligação com você ate que o amuleto se destrua ou cumpra sua missão.

Então esta me dizendo que o formato e o material não importam?

A resposta para isso é, depende. O formato principalmente varia muito de pessoa para pessoa, de quem usara e de quem energizara. Um pingente em formato de estrela de Davi teria seu efeito potencializado se a pessoa que for energizar e usar o amuleto forem judeus. Provavelmente um judeu não conseguiria energizar um amuleto em formato de cruz crista ou pior, uma cruz de malta ou suástica, pois a uma conotação muito negativa principalmente para judeus.Sendo assim o formato influencia, e muito, porem variando de pessoa para pessoa.

O material então importa?

A resposta para isso é sim. Após muitas pesquisas e inúmeros experimentos, constatei o que a literatura já nos diz há muito tempo, que alguns materiais são melhores condutores de energia do que outros. O que isso quer dizer? Simples, quanto melhor condutor de energia for nosso material, menos energia nossa ele precisa para ficar energizado e “brilhar no astral” (é possível ver o brilho de um talismã energizado se estiver no plano astral ou se tiver uma ótima clarividência).  Sendo assim, podemos dizer que uma peça de ouro exige menor energia nossa para ficar carregada do que uma peça de ferro simplesmente porque a perda na transferência é menor. Isso explica o porquê dês dos povos antigos até os cristãos sempre preferiram seus amuletos e estatuas de deuses com materiais nobres como ouro e prata.

E quanto as pedras?

Variam muito dependendo de sua natureza, as pedras em muitos casos, já são por natureza amuletos, possuindo assim uma quantidade de energia e um intento predefinido. Sendo assim é possível transformar este amuleto em um talismã mais poderoso e exclusivo? Claro, o processo seria o mesmo, porem uma coisa deve ser levada em consideração, para aproveitar a energia e o intento que já foram colocadas lá pela natureza, e que não pode ser retirada por nenhuma limpeza, devemos utilizar pedras que já possuam o intento que queremos predefinido. Por exemplo: Muitos dizem que as tão famosas pedras da lua ajudam a aumentar a clarividência, provavelmente é verdade, então compensaria muito mais pegar uma dessas pedras e a imantar com nossa energia com esse intuito, já que ela tem uma tendência natural para isso.

Espero ter conseguido explanar um pouquinho sobre este fascinante assunto que tanto permeia o ocultismo.  Pesquisem muito e achem seu método.

Um grande abraço.